Vereadores criticam repasse de cerca de R$ 100 mil para término da ciclovia

Publicado em: 24 de agosto de 2011

Os vereadores Fabrício Quaresma (DEM), Arnaldo Coelho (PT) e João Thereza (PMDB) foram contrários ao projeto de lei da Prefeitura número 91/2011 que prevê uma abertura de crédito no valor de cerca R$ 100 mil. A verba deverá ser destinada para o término da ciclovia localizada na Avenida Tietê. Mesmo com o voto contrário dos vereadores, o projeto foi aprovado pela Câmara por quatro votos a três. Durante a discussão do projeto, Quaresma ressaltou que, a obra que aparentemente está acabada já apresenta problemas em sua estrutura como rachaduras no piso e bueiro entupido. Ele demonstrou indignação durante seu discurso dizendo que “serão R$ 100 mi jogados fora! Essa obra não interesse público nenhum. O prefeito gasta uma valor desses em uma pista que não serve para nada e deixa o nosso povo a pé”, declarou Quaresma se referindo à falta de ônibus circular na cidade. Descontente com o destino da verba, o parlamentar prosseguiu dizendo que o prefeito não demonstra nenhum interesse pelas necessidades da população. “Esse governo privilegia só os mais ricos. Com esse dinheiro seria possível comprar de quatro a cinco ônibus para atender a população dos bairros que precisam vir para o centro”, continuou. Ainda em crítica ao atual governo, ele citou o valor que está sendo gasto com as obras das avenidas da cidade. “Essa avenida aí não está ficando menos de R$ 1,5 mi, com esse dinheiro eu garanto que daria pra fazer muita casa para o povo morar”. Ele continuou dizendo que “mais um monumento está em construção no desdobramento da Avenida Brasil com a Avenida Jonas Alves de Mello. Disseram-me que será um Tucunaré. Então, o dia em que vocês quiserem vir para o centro da cidade pegue o Tucunaré. Quando quiserem casa pra morar, morem em baixo do Tucunaré!”, desabafou Quaresma. O parlamentar concluiu reforçando seu voto contrário ao projeto 91/2011. “Sou contrário a projetos que jogam o dinheiro do povo no lixo”, completou. João Thereza O vereador João Thereza também demonstrou indignação com o projeto afirmando que o dinheiro público está sendo mal utilizado pelo governo municipal. “Não sou contra a realização de obras em Pereira Barreto, mas jogar dinheiro público fora sem explicação é um absurdo” disse João. O vereador continuou esclarecendo que no ano passado a Câmara se viu na obrigação de votar um projeto do Executivo para a devolução de dinheiro que havia sido gasto na ciclovia. “A população não sabe disso! O prefeito Arnaldo mandou um projeto para esta Casa para a devolução do dinheiro que foi gasto com aquela obra. Isso porque a Prefeitura perdeu o prazo e uma série de outras coisas que estavam em desacordo com o convênio feito com a Secretaria de Turismo do Estado, parceira para a realização daquele projeto”, continuou. Ele disse ainda que em seu ver a ciclovia já está acabada. “É uma obra que está lá e que todo mundo sabe que não vai servir para nada! Para mim é melhor deixar a obra inacabada do que jogar mais dinheiro fora!”, concluiu o parlamentar. Arnaldo Coelho Durante sua manifestação, o vereador Arnaldo Coelho também declarou seu voto contrário ao projeto. “Vai chegar o período de chuva e as nossas estradas rurais vão ficar intransitáveis. Com o dinheiro desse projeto (91/2011) daria para arrumar cerca de cinco trechos da estrada e assim as pessoas conseguiriam vir para Pereira Barreto”, disse. Arnaldo concluiu que “está em tempo de dar um basta nesta história, mostrar que somos sérios. Devolve dinheiro uma hora depois pega dinheiro de novo. A Secretaria do Estado manda devolver, ele (prefeito) pega outro dinheiro e coloca na obra. É um saco sem fundo!”, finalizou.


Publicado por: Danielle Garcia

Cadastre-se e receba notícias em seu email